domingo, 7 de fevereiro de 2010

Panta Rei

A expressão grega Panta Rei surge da noção de que tudo é móvel, transitório, passageiro. Para ilustrar essa afirmação, o filósofo Heráclito usava a metáfora do rio: Não é possível banhar-se no mesmo rio duas vezes. Afinal, as águas que correm no leito do rio nunca são as mesmas, tudo passa!

Monges budistas fazem mandalas de sal colorido com maior cuidado e dedicação, em seguida elas são desmanchadas para demonstrar a transitoriedade das coisas na vida, mesmo que elas exijam o maior esforço. Assim é que nós devemos encarar o dia, sempre prontos para começar tudo de novo. Demais!

2 comentários:

Carmem Tristão disse...

e a gente se apega demais, se exaspera demais né não? passa pela vida sem vivê-la...

Marliborges disse...

Pena que essa transitoriedade da vida a gente só começa a aprender quando não dá mais tempo de se diplomar...
Beijo grande